Baixe o Estudo Completo

Publicado em 10/09/2021

O Head Comercial da Webmotors, Alexsandro Claudino conversa com Evandro Cunha (Mercedes-Benz) e Luiz Castilho (Agência Talent) sobre novas soluções de digitalização da indústria automotiva.

O cenário pandêmico afetou de maneira relevante diversos setores da economia, especialmente por conta de dificuldades de abastecimento, além do impacto no poder de compra do consumidor. No entanto, o segmento de carros premium conseguiu ficar quase que alheio a esta conjuntura.

A audiência em anúncios de modelos de luxo na Webmotors cresceu 55% no primeiro semestre de 2021, em comparação com o mesmo período do ano passado. O aumento no número de propostas de compra foi ainda maior, com 85%. Outro crescimento expressivo se deu na publicação de automóveis deste nicho, referente a 90%.

“O cliente pensou muito durante o pico da pandemia e agora se mostra disposto a tirar o dinheiro que ele deixou de investir em viagens, por exemplo, para curtir o momento de retorno às atividades de lazer e relações com amigos e família. A gente acredita que o automóvel tem um papel importante neste retorno às atividades”, argumentou Evandro Cunha, gerente de marketing de carros e vans da Mercedes-Benz.

Ele foi um dos convidados da nova rodada do MotorTalks, espaço idealizado pela Webmotors para debater tendências sobre o mercado automotivo. Também participou do encontro Luiz Castilho, gerente de planejamento estratégico da Talent, agência que atende a conta da marca alemã.

O publicitário enalteceu que as plataformas digitais passaram a ser ainda mais fundamentais para que a montadora obtivesse resultados relevantes durante o cenário de pandemia. “Na verdade, construímos um histórico da jornada do consumidor já idealizada no digital antes da pandemia. Entendemos que, apesar de o cliente gostar de ir à loja, ele topa criar uma relação com o vendedor pelo WhatsApp ou Instagram”, explicou.

Diante desse contexto, a personalização e exclusividade no atendimento ganham ainda mais importância. Além de oferecer condições para que o cliente se sinta único, é preciso ainda oferecer novidades em relação a produtos, segundo Cunha.

Mas a previsão sobre como será o comportamento do consumidor diante de um novo lançamento se dá por meio do desenvolvimento e interpretação de uma base de dados qualificada. Pensando nisso, a Talent criou um estudo que tenta prever como os clientes vão querer se locomover após a pandemia.

“Imaginamos que o consumo de luxo vai ser muito pautado por nichos, com coisas que poucas pessoas fazem e que poucos podem possuir”, esclareceu Castilho.

Mas antes de olhar para o período pós-pandêmico, a Mercedes-Benz e outras montadoras depararam-se com o desafio de lançar um modelo de alto valor durante as fases mais agudas do contexto restrições sanitárias.

De acordo com o publicitário, a estratégia utilizada foi desenvolver campanhas orientadas para diferentes públicos de segmentos diversos de mercado. Mas para que esse tipo de estratégia tenha efeito, segundo ele, é preciso identificar quais são as necessidades do cliente por meio de dados e informações.

No bate-papo, disponível na íntegra no vídeo acima, Evandro Cunha e Luiz Castilho comentam qual foi o resultado da campanha que culminou no lançamento do facelift do GLA. Eles esclarecem ainda qual foi a estratégia adotada em torno do GLB, que tornou-se o SUV premium mais vendido do País.


Assine a
newsletter

Receba gratuitamente em seu e-mail tendências, pesquisas e artigos sobre mercado automotivo e marketing.